Jamesons

– O maior site especializado em Marvel do Brasil

Afinal, a Feiticeira Escarlate é uma vilã ou heroína?

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura é um dos filmes mais aguardados do ano. Com previsão de estreia para maio deste ano, o longa introduzirá novos personagens e conflitos para Stephen Strange. Irá também trazer de volta rostos familiares, como Wong, Mordo e Wanda Maximoff, a Feiticeira Escarlate.

Só que ronda por aí o boato de que, no filme, Wanda será uma das maiores vilãs, uma consequência dos acontecimentos de WandaVision. Mas será que existe explicação nos quadrinhos para essa possível queda à vilania?

Neste texto, vamos traçar alguns dos momentos chave da personagem nas HQs, nos filmes e séries, para responder a resposta: Wanda Maximoff é uma vilã, uma anti-heroína, ou uma heroína perturbada e complexa?

Terrorista mutante

Logo em sua primeira aparição nos quadrinhos, na edição #4 de X-Men (1963), Wanda é apresentada como a conflituosa Feiticeira Escarlate, membro da Irmandade de Mutantes de Magneto. Na história, descobrimos que Wanda e seu irmão gêmeo Pietro foram resgatados por Magneto de uma multidão que temia seus poderes.

Mesmo que estivesse do lado extremista de Magneto, que buscava a supremacia mutante sobre os humanos, Wanda e Pietro não compravam os ideais do vilão. Eles apenas haviam se juntado à Irmandade como retribuição pelo que Magneto havia feito por eles, salvando-os da multidão e lhes dando um lar.

Durante o período em que está com a Irmandade, Wanda questiona os métodos e a crueldade de Magneto. Ela até mesmo boicota alguns planos do vilão, tentando proteger e salvar pessoas de se ferirem.

Não demorou muito para que os gêmeos deixassem a Irmandade. Quando Magneto é preso na edição #11 da revista, os dois voltam para a Europa, seu continente de origem, e abandonam a vilania. Meses depois, eles se candidatam aos Vingadores e entram na equipe para se redimir por seus crimes. Até hoje, são alguns dos membros mais antigos e icônicos na equipe dos Heróis Mais Poderosos da Terra.

Retorno à Irmandade

Mesmo que fosse uma importante integrante dos Vingadores, Wanda teve seus momentos de retorno à “vilania”. O primeiro seria em Avengers #46 (1967), quando Pietro se irrita com a ingratidão dos humanos, que o rejeitam como mutante mesmo após serem salvos.

Tudo piora quando Magneto os sequestra e tenta recrutá-los de volta para a Irmandade. Inicialmente contra o argumento do extremista, Pietro se vê enfurecido quando um humano atira contra os mutantes, acertando Wanda na cabeça, de raspão. Ele então se volta contra os Vingadores e foge com Magneto, levando uma Wanda desorientada embora.

Feiticeira Escarlate: Vilã ou heroína?
X-Men (1963) #43 | Marvel Comics

Mesmo de volta com a Irmandade, Pietro ainda reluta em enfrentar os X-Men e, especialmente, os Vingadores. Wanda nada podia fazer para enfrentar Magneto, uma vez que o tiro havia desativado temporariamente seus poderes. Ainda assim, ela deixa claro, o tempo todo, que não é alinhada com os pensamentos do vilão, que segue sendo uma heroína aliada dos Vingadores.

Quando Pietro finalmente percebe que estava tomado pela raiva, eles deixam Magneto mais uma vez.

A Magia do Caos de Chton

Anos mais tarde, Wanda e Pietro retornariam aos Vingadores. Nessa época, Wanda acreditava que seus pais eram o Ciclone e Miss América original, heróis da época da Segunda Guerra Mundial. Tanto é que na época os gêmeos haviam adotado o sobrenome Frank.

Outra característica importante desse período é que Wanda havia sido recrutada pela bruxa Agatha Harkness e havia se tornado sua aprendiz de bruxaria. Esse acontecimento define de vez a personagem como uma importante feiticeira da Marvel, fazendo jus ao seu codinome.

Em Avengers#181 (1979), Wanda e Pietro são confrontados por Django Maximoff, um feiticeiro cigano que alega ser o verdadeiro pai dos gêmeos. Apesar de Django ser um idoso senil, as alegações dele começam a despertar memórias reprimidas nos gêmeos. Eles começam a se lembrar que, sim, haviam passado a infância e adolescência em acampamentos ciganos na Transia. Eles então deixam os Vingadores mais uma vez e partem em uma jornada para entender suas verdadeiras origens.

Na Transia, país onde os gêmeos nasceram, Wanda é enganada pelo feiticeiro Mordred e acaba realizando a invocação do demônio Chton, que possui seu corpo. E é possuída por Chton que Wanda se torna, momentaneamente, uma poderosa vilã contra os Vingadores. Na realidade, porém, Wanda era apenas um corpo ali, sem nada da essência da heroína ali agindo contra seus companheiros.

Feiticeira Escarlate: Vilã ou heroína?
Avengers (1963) #187 | Marvel Comics

Por fim, Wanda é liberta da possessão por Django Maximoff, que acaba se sacrificando. É em homenagem a ele que, anos depois, Wanda e Pietro adotam o sobrenome Maximoff, honrando o cigano que os criou.

Descobrimos eventualmente que Wanda foi tocada por Chton durante seu nascimento, o que a tornava um receptáculo perfeito para o demônio do caos deixar sua prisão mágica. Isso é algo trazido com frequência nas histórias da Feiticeira Escarlate. Sua afinidade para com a magia do caos vem dessa conexão com Chton. Inclusive, durante a saga Império Secreto, a “Feiticeira Escarlate” integra os Vingadores do Capitão América da Hidra, só que totalmente possuída por Chton, novamente.

Feiticeira Escarlate Sombria

Seja manipulada por Magneto, por Mordred ou por Chton, Wanda possui um histórico de ser controlada por outros homens que querem usar seus poderes. E um dos primeiros relapsos mentais de Wanda acontece justamente como a culminação de uma série de manipulações causadas por um único vilão: Immortuos.

O vilão interveio na vida de Wanda por anos, desestabilizando-a aos poucos enquanto a imbuía de uma magia “nexus”, retirada de outras realidades. Foi Immortuos que uniu a Feiticeira Escarlate e Visão, fazendo com que o sintozóide acreditasse mais em sua capacidade para sentimentos e humanidade. Ele próprio quem casou os dois. Foi ele quem também forneceu parte do poder que fez com que Wanda pudesse gerar seus filhos.

Além disso, Immortuos também esteve envolvido no incidente da destruição do corpo do Visão, e na perda definitiva de seus filhos. Tudo para poder usar uma Wanda instável e muito mais poderosa que poderia combater os Guardiões do Tempo, que na época caçavam Immortuos por seus crimes contra a linha do tempo.

Feiticeira Escarlate: Vilã ou heroína?
Avengers West Coast (1989) #56 | Marvel Comics

Foi então que surgiu a Feiticeira Escarlate Sombria, uma poderosa vilã capaz, pela primeira vez, de alterar o tecido da realidade. Ela, inclusive, retornou temporariamente para a Irmandade de Mutantes durante esse breve período.

Por fim, Immortuos foi derrotado e, com a ajuda de Agatha Harkness, Wanda teve esse poder instável esvaziado e pode retornar ao seu estado normal. Nessa época, Agatha também havia apagado da mente de Wanda o trauma de perder os filhos (falamos um pouco sobre esse episódio neste texto aqui), algo que seria fundamental para o próximo (e mais memorável) colapso mental da heroína.

A Queda dos Vingadores

No controverso Vingadores: A Queda, a Vespa deixa escapar para Wanda sobre seus filhos, algo que a heroína havia reprimido e sido induzida a esquecer por anos.

Feiticeira Escarlate: Vilã ou heroína?
Avengers (1963) #503 | Marvel Comics

Em um momento de extrema fragilidade e depressão, a Feiticeira Escarlate vai atrás do Doutor Destino, vilão que tinha uma magia muito mais poderosa que a sua – e um senso moral muito mais distorcido também. Com a “ajuda” dele, ela acessa e armazena a energia vital da Terra, se tornando assim um ser quase onipotente, capaz de alterar a realidade a seu bel prazer.

Só que a força da energia vital da Terra era muito para Wanda controlar – e Destino sabia disso. Com a mente já fragilizada pela depressão e pelo que havia perdido, a Feiticeira Escarlate cede de vez ao poder e comete atos terríveis contra os Vingadores. Ela mata o Visão, explode a Mansão dos Vingadores, mata o Homem-Formiga, deixa a Vespa em coma, faz com que o grupo perca todo o apoio das Nações Unidas e causa, de fato, a queda dos Heróis Mais Poderosos da Terra, que encerram suas atividades.

Por fim, Wanda é contida pelo Doutor Estranho e levada por Magneto para Genosha. Mas seu maior ato de vilania ainda estava por vir.

Dinastia M e a dizimação dos mutantes

Em Genosha, ainda extremamente instável pela depressão e pelos poderes da força vital, Wanda é manipulada mais uma vez, agora pelo próprio irmão, Pietro. Com medo do que os Vingadores podiam fazer com Wanda em retribuição pelas mortes e destruição que ela causou, ele apela para que ela use seus novos poderes aumentados para refazer a realidade inteira. E ela o faz.

Quando estava prestes a ser capturada pelos Vingadores e pelos X-Men, a Feiticeira Escarlate molda a realidade de forma que a maioria das pessoas vivessem em um lugar melhor. Ela cria então a Dinastia M, uma realidade alterada onde os mutantes eram a espécie dominante, o sonho supremo de Magneto, agora líder dos mutantes no mundo.

Só que não demora para que os heróis comecem a recobrar a consciência sobre a natureza real das coisas e partam para o confronto. No fim, Magneto descobre que fora Pietro quem manipulou Wanda para criar a Dinastia M e, num ato de fúria, o mata. Enfurecida, Wanda se vinga do vilão e vocifera as icônicas palavras: “Chega de mutantes“.

Com isso, ela se torna uma das maiores genocidas da história dos homo superior, apagando os poderes de 99% da população mutante e impedindo que novos indivíduos nascessem com o Gene-X. Mesmo que não tivesse assassinado ninguém diretamente, a perda dos poderes acabou matando vários mutantes, e deixando toda a população vulnerável a ataques.

Feiticeira Escarlate: Vilã ou heroína?
House of M (2005) #7 | Marvel Comics

Por anos, esse período, apelidado Dizimação, ou Dia M, moldou o futuro da raça mutante e dos X-Men. Os 198 mutantes que mantiveram suas habilidades agora precisaram se virar para sobreviver em um mundo onde eram uma minoria enfraquecida e em extinção.

Mesmo depois que a verdade sobre a força vital e a manipulação do Doutor Destino foi exposta, os mutantes ainda culpavam a bruxa. Quando, anos depois, foi revelado que Wanda sequer era uma mutante, isso piorou ainda mais a barra da heroína, que se tornou a “Farsante” – a falsa mutante que os enganou e os dizimou.

Redenção

Livre dos poderes da força vital, Wanda recobrou sua sanidade e pôde, mais uma vez, se unir aos heróis. Aos poucos, começou um caminho penoso para tentar reconquistar o perdão de seus antigos aliados, Vingadores e mutantes. Eventualmente, a feiticeira voltou a integrar a equipe dos Heróis Mais Poderosos da Terra.

Durante os eventos de Vingadores VS X-Men, Wanda se juntou a Esperança Summers, avatar da Força Fênix, e ajudou a trazer de volta o Gene-X para a Terra. Dessa forma, os mutantes voltaram a nascer e surgir pelo planeta.

Feiticeira Escarlate: Vilã ou heroína?
Avengers VS X-Men (2012) #12 | Marvel Comics

Durante a saga Impéryo, Wanda usou de artefatos e magias proibidas para tentar ressuscitar os mutantes mortos em Genosha, em mais uma tentativa de se redimir. O feitiço deu errado e os mutantes voltaram como mortos-vivos.

Por fim, na saga ainda não publicada no Brasil, Trial of Magneto (2021), Wanda se sacrifica momentaneamente para poder melhorar o protocolo de ressurreição mutante. Esse ato fez com que as almas/consciências dos mutantes que morreram antes do Cérebro ser construído pudessem ser acessadas. Isso permitiu que mutantes antes “perdidos” pudessem receber uma nova chance para viver. Só assim, finalmente, Wanda foi perdoada pela nação mutante e recebe uma nova alcunha. De Farsante para Redentora.

Mas e no Universo Cinematográfico da Marvel?

Nas telas, Wanda teve uma origem um diferente, embora com alguns paralelos entre ela e sua versão nos quadrinhos. Diferente da Wanda das HQs, Wanda não surge como uma mutante trabalhando para Magneto. Ela surge como uma militante de Sokovia que, junto de seu irmão, se voluntaria para fazer parte de experimentos que tinham como objetivo criar armas humanas contra os “invasores americanos”. Wanda acaba recebendo poderes de telecinesia e telepatia quando entra em contato com a Joia da Mente.

Em Vingadores: Era de Ultron (2015), Wanda e Pietro são responsáveis por ferir o Gavião Arqueiro e causar destruição na cidade de Johanesburgo, na África do Sul, quando Wanda usa seus poderes para controlar o Hulk. Além de serem aliados da Hidra, eles também se unem a Ultron, o grande vilão do filme, que promete vingança contra o Homem de Ferro.

Os gêmeos culpam Tony Stark por ter construído e comercializado as bombas que eram usadas contra Sokovia durante a guerra. Bombas essas que mataram os pais dos gêmeos quando eles eram crianças.

Feiticeira Escarlate: Vilã ou heroína?
Vingadores: Era de Ultron (2015) | Marvel Studios

Os irmãos enfrentam os Vingadores por boa parte do filme, até que percebem que Ultron planejava dizimar toda a humanidade e acabam mudando de lado. Após a morte de Pietro e com a humanidade salva, Wanda se junta de vez aos Vingadores e se torna oficialmente membro da equipe.

Seus poderes, porém, ainda eram pouco treinados e ela acaba causando mais morte e destruição, mesmo que não fosse de forma intencional. Em Capitão América: Guerra Civil (2016), para salvar o Capitão América e outros civis, Wanda tenta conter uma explosão causada pelo ex-Hidra Ossos Cruzados na Nigéria.

Só que ela perde o controle e acaba explodindo um prédio, deixando dezenas de feridos e mortos. Isso cria um incidente diplomático grave e acaba ocasionando na criação dos Acordos de Sokovia, que criminalizava a ação de justiceiros não-registrados.

O incidente em Westview

Depois de se provar uma peça chave na batalha contra Thanos, Wanda acaba perdendo seu interesse romântico, o Visão, e também desaparece durante o “blip”. Quando retorna, ajuda os heróis a destruir o exército inimigo e, tenta seguir com sua vida diante das perdas que enfrentou.

Em WandaVision (2021), vemos o que o poder de Wanda era capaz. Em um momento de colapso pelo luto, ela libera uma imensa energia e acaba aprisionando a cidade de Westview em um hexágono mágico (apelidado “Hex”), alterando a realidade e controlando as pessoas dentro desse espaço.

WandaVision: Vilã ou heroína?
WandaVision (2021) S1E09 | Marvel Studios

Ela também recria o Visão e dois filhos que o casal nunca tiveram. Mesmo que de forma não-intencional, Wanda acaba causando mais sofrimento para as pessoas – e tudo piora quando a bruxa Agatha Harkness começa a interferir no Hex, e manipulando ainda mais a mente já fragilizada da Vingadora para obter os poderes dela para si.

Por fim, Wanda descobre o plano de Agatha e a dor que causara para as pessoas da cidade. Ela liberta o povo de Westview e se despede daquele lugar fictício que ela havia criado para lidar com a depressão e a perda. Sabendo que eventualmente ainda precisaria pagar pelos crimes que cometeu em Westview, Wanda foge para uma cabana isolada em seu país de origem.

Agora em posse do Darkhold, Wanda poderia aprender mais sobre magia, sobre seus poderes e sobre a sua nova alcunha como a Feiticeira Escarlate. E talvez trazer seus filhos de volta?

E o Multiverso da Loucura?

Finalmente chegamos no presente. No trailer de Doutor Estranho no Multiverso na Loucura, vemos Wanda ainda na cabana, abordada por Stephen Strange, que sabia sobre Westview. Só que ele não vai até lá para puni-la, e sim para recrutá-la para sua missão. Então por que a Wanda seria a vilã do filme?

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura: Feiticeira Escarlate
WandaVision (2021) S1E09 | Marvel Studios

A cena final de WandaVision traz Wanda com uma expressão assustadora, com olhos vermelhos e os dedos escuros, possivelmente corrompidos pela magia do Darkhold. A teoria mais comum é que Wanda acabaria corrompida pelo livro e se voltaria contra Strange para trazer seus filhos de algum lugar do Multiverso.

Vilã ou heroína?

Se pensarmos em todo o histórico de “vilania” da Wanda nos quadrinhos, vemos que ela nunca causou mal às pessoas inocentes de forma intencional sem que houvesse manipulações por trás. Mesmo quando estava do lado oposto aos heróis, Wanda sempre desafiou as figuras de autoridade para impedir que inocentes se machucassem. Exceto quando estava completamente fora de si, devido às várias vezes em que teve sua saúde mental desestabilizada. E todas as vezes que esteve desestabilizada assim, existia alguma figura movendo as cordas e abusando dos poderes dela para cumprir com seus próprios interesses.

Nos quadrinhos, não se pode dizer que Wanda é de fato uma vilã. Sua moral não é distorcida e ela preza pelo bem geral. Nem mesmo é uma anti-heroína, como o Justiceiro ou o Deadpool, que geralmente lutam pelo bem, mas sob suas próprias regras. Na maioria das vezes, ela tinha sua moral e senso de justiça alinhados com o que é visto tradicionalmente como o correto, prezando pela vida e bem-estar de todas as pessoas, sem distinção.

Wanda sempre foi usada em manipulações de homens que tentaram se aproveitar de sua empatia e fragilidade mental para concluir seus objetivos. E, mesmo assim, ela demonstra empatia até por aqueles que causaram mal a ela.

Feiticeira Escarlate: Vilã ou heroína?
Avengers West Coast (1989) #62 | Marvel Comics

Já nos universo dos filmes, Wanda tem momentos que parecem partir de uma visão egoísta de vingança pessoal. Só que, se pararmos para observar, esses atos também eram atos manipulados ou frutos de sua saúde mental em colapso. Quando se junta à Hidra e a Ultron, Wanda havia sido radicalizada para pensar que os americanos e até os Vingadores eram os responsáveis pela pobreza e destruição de seu lar.

Por décadas, o povo de Sokovia viveu em guerras, inclusive em guerra com o governo americano. É comum que essas pessoas, que viram seus pais serem mortos e seu país dizimado por ações de outra nação, cresçam odiando e virando alvos fáceis para a manipulação de grupos extremistas e sua propaganda.

Em Westview, Wanda só teve total consciência do que estava fazendo quando os cidadãos da cidade começaram a confrontá-la. E, imediatamente, ela os liberta e começa a derrubar o Hex. Provando, mais uma vez, que ela tinha, sim, compaixão pelas pessoas e não tinha a intenção de causar todo aquele sofrimento. Que tudo aquilo era apenas o fruto da sua depressão e angústia, reforçados pela manipulação de Agatha Harkness.

Então será que esse papel de vilã se encaixa com ela? Será que ela estaria disposta a se perder de vez para a vilania para tentar trazer os filhos de volta? Será que ninguém vai sugerir que ela faça terapia até lá?

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura estreia em maio de 2022 nos cinemas. Até lá, cabe a nós especular.

Feiticeira Escarlate: Vilã ou heroína?
Homem-Aranha: Sem Volta Pra Casa (2021) | Marvel Studios

E então, caro leitor? Qual a sua visão sobre a Feiticeira EscarlateDeixa sua opinião aí nos comentários! Não esqueça também de curtir a nossa página no Facebook e seguir nossas demais redes sociais! Temos também o nosso grupo no Facebook, aberto para discussões.

error

Espera aí meu jovem, já vai embora? Esperamos que você tenha gostado do conteúdo do site. Mas não esquece de nos seguir nas redes sociais abaixo para curtir mais material sobre a Marvel :D