Conheça a antiga geração de mutantes e a família perdida do Apocalipse

Apocalipse é um dos mais famosos vilões dos X-Men, sendo figura bastante presente não só nos quadrinhos, mas em jogos de video game, animações e até nos filmes.

Recentemente a Marvel, na figura do escritor Jonathan Hickman (X-Men) tem dado mais destaque ao personagem, explorando o seu passado misterioso e acrescentando novas camadas.

Atualmente Apocalipse, assim como todos os demais mutantes (heróis, vilões ou mesmo civis) vivem em harmonia em Krakoa, a nação mutante. Ele, até onde se sabe, não representa um perigo e nem é mais um vilão.

Nesse texto vamos trazer informações apresentadas em X-Men #12, revista ainda inédita no Brasil e que saiu semana passada nos Estados Unidos. Então se você não quiser spoilers, siga por sua conta em risco.

Há muito tempo atrás existia Okkara, a Terra dos Mutantes. Uma enorme ilha que era usada pelos mutantes como lar na Terra. Certo dia a Espada do Crepúsculo de um misterioso inimigo rachou a ilha em duas.

Assim o que antes era Okkara acabou se tornando Krakoa e Arakko. E do abismo entre as duas ilhas emergiu um mundo sombrio, cheio de demônios. No processo de selar estes seres no seu mundo de origem, Arakko, seus mutantes e a família de Apocalipse foram condenados ao abismo dos demônios. Sobrando apenas o Apocalipse para contar a história.

Em um mundo chamado Amenth, Akkaro se organizou como nação, de maneira semelhante a que Krakoa hoje finalmente conseguiu fazer. Uma enorme comunidade mutante se formou nesse mundo infernal.

A família de Apocalipse estava na vanguarda de Arakko. Genesis, sua esposa, era a líder. Ela lutou e protegeu o território por séculos. O foco era a esperança de sobreviver tempo o suficiente para que Apocalipse retornasse com os mutantes de Krakoa para salvá-los.

Também estavam lá seus quatro filhos: Morte, Fome, Guerra e Pestilência. Os quatro Cavaleiros do Apocalipse originais.

Guerra, inclusive, se relacionou com o Espada Branca, poderoso guerreiro e um X-Eterno de Arakko, que tinha a habilidade de ressuscitar seus guerreiros. E juntos tiveram o Invocador, neto do Apocalipse. Ele é todo branco, possui uma marca no seu abdômen que lhe permite invocar demônios. Mas seu poder mutante é a invulnerabilidade.

Quando Genesis foi traída pela mutante Isca, cujo poder é o de nunca perder e foi convidada a enfrentar a Aniquilação, deusa de Amenth, Genesis saiu derrotada.

Isso custou caro para Arakko. Diversos mutantes foram mortos por novas investidas dos demônio. E foi aí que Invocador, neto de Apocalipse, foi enviado para o nosso mundo, em Krakoa, para buscar o seu avô e seu prometido exército.

A sua chegada foi vista em X-Men #2, revista que na época fez pouco sentido e agora se encaixa perfeitamente nesse prelúdio da saga X of Swords.

Inclusive, na saga X of Swords, deveremos ver os mutantes de Krakoa indo ajudar os de Arakko, porém pelas capas já divulgadas fica nítido que algo dará muito errado.

A saga ainda está cheia de mistérios, tem muita coisa para acontecer. Ela começa oficialmente na semana que vem nos Estados Unidos. Mas o que já descobrimos foi que Apocalipse tem uma família perdida e a história de Arakko.

Mas e então, caros leitores, o que vocês acharam da novidade? Já imaginavam que o poderoso Apocalipse poderia ter uma família perdida? Deixe a sua opinião nos comentários.

Please follow and like us:
error

Espera aí meu jovem, já vai embora? Esperamos que você tenha gostado do conteúdo do site. Mas não esquece de nos seguir nas redes sociais abaixo para curtir mais material sobre a Marvel :D