Battle Royale! Relembre quando a Marvel colocou seus heróis para se matarem

Atualmente no mundo dos games um dos gêneros mais populares é o Battle Royale, que consiste em diversas pessoas jogando online em uma sala e o último que sair vivo é o vencedor.

O jogo Fortnite, nesse sentido, é a principal referência. Nele 100 jogadores caem numa gigante ilha deserta e precisam encontrar armas, balas e cura. Todos precisam eliminar os inimigos que encontrarem e no final quem sobreviver por último sai vitorioso.

Vale destacar também, apenas como curiosidade, que Fortnite já fez várias parcerias com a Marvel. A primeira envolvendo os filmes Vingadores: Guerra Infinita e Ultimato e atualmente está rolando outro crossover envolvendo o Deadpool.

Mas Battle Royale enquanto conceito surgiu em 1997, foi o nome de um romance japonês muito popular escrito por Koushun Takami. Posteriormente o livro virou mangá e filme, conquistando cada vez mais público.

A história do livro envolvia estudantes sendo colocados para lutar até morte por um governo japonês totalitário.

No ocidente o gênero conquistou o grande público em 2008, com o lançamento do primeiro livro da franquia Jogos Vorazes, que em 2012 foi adaptado para os cinemas e se tornou um dos filmes mais populares da época.

A obra misturara o elemento Battle Royalle com muita crítica social, mostrando um mundo pós-apocalíptico onde os enfrentamentos até a morte eram uma forma de entretenimento massivo e uma manera de ascender socialmente.

Nos games a moda surgiu em 2016 com o jogo Pubg, mas se popularizou em definitivo com Fornite no ano seguinte. Porém, entre o sucesso de Jogos Vorazes e de Fortnite, a Marvel aproveitou para surfar nessa onda.

O Battle Royalle da Marvel

A Casa das Ideias publicou em 2013 a revista Arena dos Vingadores, com roteiro de Dennis Hopelles (Mulher-Aranha) e arte de Kevin Walker (Star Wars).

O seu conceito era muito simples: o vilão Arcade, conhecido por sempre colocar os X-Men, Homem-Aranha e grandes heróis para enfrentar situações mortais no seu “Mundo do Crime”, resolveu criar um Battle Royale com os jovens heróis.

Para isso ele sequestrou 16 adolescentes super-heróis do Universo Marvel e os colocou numa ilha. Para se comer e beber eles precisam lutar entre si. Ninguém sabe que eles sumiram, então os Vingadores ou Quarteto Fantástico não vão surgir para salvar o dia.

Após 30 dias, apenas uma pessoa sairá vitoriosa dessa ilha. Esse foi o Battle Royale de Arcade. As inspirações da trama são claramente o Battle Royale japonês original (isso fica evidente na homenagem da capa da primeira edição, veja abaixo) e em Jogos Vorazes.

O escritor da HQ, Hopless, em entrevista ao site Multiversity, em 2013, esclareceu como surgiu o conceito da HQ:

Bill Rosemann (editor da HQ) originalmente me pediu para lançar um livro escolar de super-herói mais tradicional. A Academia dos Vingadores estava terminando e ele estava procurando uma visão diferente dessa ideia básica. Meu discurso inicial foi como uma versão do Universo Marvel de Skins (a incrível série de TV britânica), estrelando Death Locket e as crianças da Academia Braddock.

Uma das minhas sugestões para a história foi uma competição no estilo do Torneio Tribruxo (da franquia Harry Potter) entre várias escolas do Universo Marvel e que se transforma em uma situação dos Jogos Vorazes.

Em algum momento, Bill levou a nossa ideia para Axel Alonso e Tom Brevoort, editores seniores da Marvel. Eles deram uma olhada em nossos possíveis arcos da história, apontaram para as ideias do Torneio Tribruxo e Jogos Vorazes e falou: “Esse é o seu livro. Apenas faça isso“. Então, o que era inicialmente uma minissérie de cinco edições acabou virando uma série de 18 capítulos. Fiquei um pouco apreensivo com a mudança no começo, mas acabou sendo a melhor nota editorial que já recebi.“, contou Hopeless.

Os jovens heróis que participaram da Arena dos Vingadores foram: Radiação, Vigoroso, Réptil, Jovem Gigante de Ferro e X-23 da Academia dos Vingadores. Nico Minoru e Chase dos Fugitivos. Cammi, Falcão de Aço, Corvo Vermelha e Death Locket estavam sozinhos na ilha. E Anacronismo, Kid Bretão, Ápice, Bloodstone e Nara eram da Academia Braddock.

Arena dos Vingadores foi uma grata surpresa da Marvel. Foi um título inesperado, escrito por um autor desconhecido na época e conquistou os fãs pela ousadia e violência.

Sim, a revista como um bom Battle Royalle, não podia se dar ao luxo de evitar a violência explícita. Do início ao fim muitos personagens sofreram algumas das suas mais traumáticas experiências. Inclusive a X-23, que há havia sofrido muito na infância.

Arena dos Vingadores saiu no formato mensal aqui no Brasil e nunca mais foi republicado. Mas em uma época em que o Battle Royalle está bombando em tantas mídias diferentes, fica a dica para a editora Panini olhar para esse material com carinho.

Mas e você, caro leitor, já leu a Arena dos Vingadores? Gostou de ver os adolescentes se matando? E o que achou dos novos personagens criados para a Academia Braddock? Deixe a sua opinião nos comentários.

Please follow and like us:
error

Espera aí meu jovem, já vai embora? Esperamos que você tenha gostado do conteúdo do site. Mas não esquece de nos seguir nas redes sociais abaixo para curtir mais material sobre a Marvel :D