Conheça a nova equipe de heroínas da Marvel: As Filhas da Liberdade

O run do escritor Ta-Nehisi Coates (Pantera Negra) na HQ do Capitão América tem se mostrado uma continuação moral do trabalho de Nick Spencer na revista. Steve Rogers precisa lidar com as consequências do evento Império Secreto.

Durante a saga, uma versão distorcida e fascista tomou controle dos Estados Unidos, matando todos aqueles que mostrassem oposição ao seu governo e até tentou mudar a história. Para entender isso, leia esse texto bem completo que fizemos sobre a saga.

Se aproveitando da popularidade fragilizada do Capitão América, os vilões Alexa e Aleksander Lukin aparentemente tramaram a morte do General Thunderbolts Ross e botaram a culpa em Steve.

Crente na justiça, Rogers acabou se entregando para a polícia e agora está preso. Porém, enquanto o Capitão América é preso e os vilões acreditam ter obtido sucesso na sua missão, a Agente Carter começa a colocar em prática o seu plano.

Ela convoca uma equipe chamada Filhas da Liberdade (nome interessante para salvar o Sentinela da Liberdade, não?). O curioso é que Carter convoca as heroínas com o termo em latim “aeternum filias“, que seria “filhas eternas” em uma tradução livre.

Carter ainda menciona que os serviços dessas mulheres são necessários “mais uma vez“. Indicando que, apesar de ser a primeira vez que vemos essas personagens trabalhando em equipe, elas já podem estar juntas há mais tempo.

A formação da equipe é: Toni Ho, Harpia, Echo, Mulher-Aranha, Mulher-Invisível, Tigresa Branca e Misty Knight.

O escritor Ta-Nehisi Coates é famoso por inserir uma série de referências (easter eggs) históricas nas suas histórias. As Filhas da Liberdade é mais um exemplo disso, essa alcunha foi originalmente usado em 1765/1767 na Revolução Americana.

Na época, patriotas do sexo feminino se reuniram para protestar contra a injusta tributação britânica nas colônias americanas.

Teria essa formação super-heroica alguma relação com As Filhas da Liberdade originais? Seriam elas descendentes ou apenas mulheres levando a luta adiante? Teremos de esperar as próximas edições da revista para descobrir.

Capitão América #7, com a estreia dessa versão das Filhas da Liberdade, contou com roteiro de Ta-Nehisi Coates (Pantera Negra) e arte de Adam Kubert (Homem-Aranha).

Confira também essas novidades