Top10: selecionamos as nossas HQs preferidas da Marvel na década de 2010

No início da semana nós apresentamos o nosso Top10 de melhores HQs da Marvel lançadas nesse ano. Porém, a proposta agora é abranger essa lista e selecionar os melhores materiais da década.

Essa lista conta com títulos publicados entre 2010 e 2019. Vale destacar também que essa é apenas a nossa opinião, não se trata de uma verdade absoluta. Inclusive, se a sua lista for diferente, deixe ela nos comentários para podermos comparar os nossos gostos.

Sem mais delongas, vamos para a lista:

1 – Quarteto Fantástico (2009-2012).

A passagem de Jonathan Hickman (X-Men) pelas histórias do Quarteto Fantástico foi algo marcante. O escritor é até hoje mencionado como top2 escritores da equipe, rivalizando com o lendário John Byrne.

As histórias, apesar de focarem muito no Sr. Fantástico e na sua filha Valéria Richards, criaram plots bem interessantes e individuais para o Coisa, Mulher-Invisível e o Tocha Humana. Até o jovem Franklin voltou a recuperar os poderes, após anos dos escritores ignorando o personagem por medo de fazer alguma besteira.

Vale destacar também que foi o Hickman quem criou a Fundação Futuro, a classe de estudantes super-gênio do Universo Marvel. Conceito que é aproveitado até hoje nas histórias.

2 – Demolidor (2011-2015).

Mark Waid (Viúva-Negra), acompanhado do desenhista Chris Samnee (Viúva-Negra) fez o que muitos acharam que era impossível: criou histórias mais alegres e coloridas para o Demônio da Cozinha do Inferno.

Mas é claro que isso não significou uma vida fácil para Matt Murdock. Waid levou o personagem para novos ambientes, criou novos vilões. Mostrou que o personagem não é refém da escuridão que sempre o seguiu desde que Frank Miller colocou as mãos nele.

3 – Homem-Aranha Ultimate (2011-2014).

Quem diria que a Marvel iria conseguir criar um novo Homem-Aranha e que fosse tão carismático quanto o original? O escritor Brian Michael Bendis (Vingadores) e a desenhista Sara Picheli (Quarteto Fantástico) conseguiram isso.

O jovem Miles Morales surgiu cheio de desconfianças mas rapidamente conquistou a todos. O personagem se mostrou muito mais do que uma versão negra do tradicional herói. Mostrou que tem personalidade é um herói completamente diferente e possui até seus próprios poderes.

Os seus primeiros anos de história, onde foram alicerçados seus personagens coadjuvantes, vilões e narrativas, foram também os seus principais momentos. Foi a partir dessas aventuras que ele conquistou o mundo e hoje até um Oscar possui pendurado na estande.

4 – Wolverine e os X-Men (2011-2014).

Antes de Jonathan Hickman chegar aos X-Men, foi Jason Aaron (Thor) ao lado de Nick Bradshaw (Aranha), Chris Bachallo (Homem-Aranha), Ramon Perez (Gavião-Arqueiro) e Pepe Larraz (House of X) quem produziu o principal run longo dos X-Men na década.

Wolverine e os X-Men surgiu na esteira da saga Cisma, que foi basicamente uma pequena Guerra Civil na franquia mutante. Na revista acompanhamos Wolverine, Kitty Pryde, Fera e Homem de Gelo comandando o Instituto Jean Grey.

Essa foi uma HQ com uma temática completamente acadêmica, mostrando os alunos na sala de aula do instituto e até explicando quem eram os profissionais que trabalhavam nele, bem como as disciplinas que eram ministradas.

A revista tinha um elenco inflado, mas todos receberam a devida atenção. O destaque fica para a turma de jovens estudantes composta pelo Quentin Quire, Idie, Ocular, Ninfa, Kid Gladiador e a brasileira Garota Tubarão.

5 – Gavião-Arqueiro (2012-2014).

Matt Fraction (Homem de Ferro) e David Aja (Punho de Ferro) surpreenderam a todos em 2012 com o lançamento da revista do Gavião-Arqueiro.

Esse era um título descompromissado, mostrando a vida de Clint Barton enquanto ele não estava junto dos Vingadores salvando o dia. Onde ele vive? O que ele faz nos seus momentos de lazer? A revista trouxe para a mitologia do personagem também a Gaviã-Arqueira, que até então era muito ligada apenas aos Jovens Vingadores.

A sacada do título, no entanto, não foi apenas focar numa trama pouco heroica e mais mundana, mas sim inovar na sua narrativa. Tanto o escritor quanto o desenhista promovem experimentações muito interessantes, como uma edição inteira feita do ponto de vista de um cachorro ou então um capítulo completamente escrito em linguagem de sinais.

Não é a toa que o título colecionou prêmios e indicações e por muito tempo a Marvel tentou repetir esse sucesso com outras revistas. Algumas deram muito certo, outras nem tanto.

6 – Thor (2013-2019).

Jason Aaron (Wolverine) a exemplo de Jonathan Hickman no Quarteto Fantástico, conseguiu se tornar top2 na HQ do Deus do Trovão. Hoje em dia ele e Walter Simonson disputam para ver quem é o maior escritor que já passou pelo herói.

Aaron ao longo dos anos escreveu diversas HQs do personagem, cada uma com uma proposta diferente. Os títulos foram: Thor: Deus do Trovão, Thor, Thors, A Poderosa Thor, O Indigno Thor, Thor, Guerra dos Reinos e Rei Thor.

Um profundo mergulho na mitologia nórdica, explorando todos os seus reinos e criaturas mágicas. Além disso, criou personagens encantadores. E apesar de Jane Foster ser uma criação antiga da Marvel, ela virou outra personagem nas mãos de Aaron.

A Poderosa Thor e o Indigno Thor trouxeram um olhar mais intimista ao fardo da divindade no Universo Marvel, permitindo que os leitores consigam se identificar com esses seres fantásticos.

7 – Vingadores / Novos Vingadores (2013-2015).

E cá está novamente o Jonathan Hickman. O trabalho que ele apresentou em Vingadores é novamente extremamente aclamado e está no topo da lista de runs preferidos dos Vingadores por parte dos leitores.

Hickman criou uma trama megalomaníaca envolvendo o fim do Multiverso e o papel dos Vingadores nisso tudo. O destaque ficou para os Novos Vingadores, protagonizada pelos Illuminati.

Enquanto os heróis salvavam o dia, quem decidia pelo destino de bilhões de pessoas nas realidades alternativas era um pequeno grupo composto pelas grandes lideranças da comunidade super-heroica.

Foi uma trama envolvente, com uma série de dilemas morais e que conseguiu envolver todo o Universo Marvel. A conclusão dessa história foi na mega-saga Guerras Secretas.

8 – Miss Marvel (2014-2019).

Quando a Marvel anunciou que estaria criando uma super-heroína muçulmana e com origem inumana a internet inteira torceu o nariz. Muitos leitores previam que a revista seria cancelada na quinta edição. No entanto, a heroína já está na sua 70° edição, sem contar os especiais e aparições em outras revistas, jogos de video game, animações e em breve uma série de TV própria.

Kamala Khan caiu nas graças do público graças ao seu carisma de jovem nerd que escreve fanfics e idolatra os super-heróis, a Capitã Marvel principalmente.

Um dos diferenciais nas histórias dessa jovem paquistanesa foi como a sua cultura foi devidamente abordada na HQ. Isso foi um trabalho da escritora G. Willow Wilson, que é muçulmana e teve um cuidado especial na hora de desenvolver tanto a personalidade da Kamala quanto o seu núcleo coadjuvante e até o visual.

9 – Capitão América: Sam Wilson (2015-2017).

Em 2014 o escritor Rick Remender tornou Sam Wilson (ex-Falcão) o novo Capitão América do Universo Marvel. Mas foi o roteirista Nick Spencer (Homem-Aranha) que um ano depois iria levar o personagem a outro nível.

Com histórias com uma forte pauta política, abordando racismo e até o fascismo, o autor chamou a atenção da grande mídia. Foi nessa fase que o Steve Rogers, o Capitão América clássico, acabou se revelando um Agente da Hidra e causou um furor na internet.

Obviamente as polêmicas negativas foram um exagero, porém quem se deu ao trabalho de ler as HQs conseguiu desfrutar de uma história muito bem contada e extremamente pertinente nos dias atuais. Uma grande reflexão sobre o que o Capitão América pode e deve representar para o povo americano nos tempos atuais.

10 – Visão (2016).

Este foi o primeiro e único trabalho de Tom King (Batman) na Marvel e para muitos é a sua obra-prima. A história gira em torno do sintozóide Visão e na sua tentativa de ter uma vida comum e para isso ele cria uma família comum para si.

Como é habitual nas obras do King, Visão traz uma série de críticas e reflexões, se mostrando uma obra bem mais profunda do que pode aparentar em um primeiro momento.

A história, apesar de ter apenas 12 edições, foi tão marcante que servirá de inspiração parcial para a série de TV WandaVision do serviço Disney+.

E então, caros leitores, essa foi a nossa lista de melhores HQs da Marvel na última década. Tem alguma que não listamos e que você acha válido destacar? Deixe a sua sugestão nos comentários.

Please follow and like us:
error

Espera aí meu jovem, já vai embora? Esperamos que você tenha gostado do conteúdo do site. Mas não esquece de nos seguir nas redes sociais abaixo para curtir mais material sobre a Marvel :D