Nem todas as HQs foram escritas para você ler

A internet atualmente está lotada de pessoas em polvorosa que reclamam da diversidade da Marvel. Aparentemente, a Casa das Ideias está dando mais espaço do que deveria para mulheres, negros, gays, latinos e até muçulmanos, por exemplo. E respeitamos esse pensamento, apesar de discordarmos, afinal respeito gera respeito. Mas essa galerinha aí, ao invés de ficar reclamando na internet, já pensou em pegar uma HQ que fuja dessas características para ler e ser feliz?

A linha de super heróis da Marvel, em janeiro (mês em que essa postagem está sendo escrita), publicou 62 revistas em quadrinhos. Desse total, exatamente 23 publicações se encaixam no perfil de diversidade. Ou seja, 37% do catálogo da Marvel em janeiro de 2018 era voltado para diversidade. Os outros 63% são dedicados exclusivamente aos personagens masculinos, brancos e héteros ou para equipes que não possuem nenhum argumento de empoderamento no seu plot atual.

Para chegar nesses números, por exemplo, considerei a mensal dos Campeões como revista de diversidade, pois esse é basicamente o argumento da HQ. Mas não considerei as principais HQs de equipe dos X-Men, apenas Gold, pois é a única trabalhando com o preconceito (mesmo que de forma rasa), as demais estão mais preocupadas com disputas telepáticas e viagens no tempo. O Demolidor, por ser deficiente visual, também entrou na conta das HQs de diversidade.

Os Campeões são jovens que querem ser diferentes dos adultos (Vingadores) e buscam resolver todas as situações sem violência (ou com o mínimo possível). Foto: Marvel Comics.

Confira todas as 62 HQs da Marvel:

1. Vingadores. 2. O Retorno de Jean Grey. 3. Jean Grey. 4. Guardiões da Galáxia. 5. Surpreendentes X-Men. 6. Ascensão do Pantera Negra. 7. O velho Gavião Arqueiro. 8. Legião. 9. Vampira & Gambit. 10. Capitão América. 11. Inumanos. 12. Invencível Homem de Ferro. 13. Campeões. 14. Thor. 15. Mulher-Hulk. 16. Incrível Hulk. 17. Venom. 18. Venom Inc.. 19. Gwen-Aranha. 20. Espetacular Homem-Aranha. 21. Homem-Aranha. 22. Peter Parker: Sensacional Homem-Aranha. 23. Homem-Aranha/Deadpool. 24. Espetacular Homem-Aranha: Renovando os Votos. 25. Ben Reilly: Aranha Escarlate. 26. Demolidor. 27. Jessica Jones. 28. Punho de Ferro. 29. Justiceiro. 30. Defensores. 31. Luke Cage. 32. Marvel Dois-em-Um. 33. Imbatível Garota Esquilo. 34. Capitã Marvel. 35. Pantera Negra. 36. Gaviã Arqueira. 37. America. 38. Dr. Estranho. 39. Tales os Suspense. 40. Espiritos da Vingança. 41. Falcão. 42. Inigualável Gwenpool. 43. Monstros Destroem. 44. Miss Marvel. 45. Moon Girl and Devil Dinosaur. 46. Raio Negro. 47. Guerreiros Secretos. 48. Thanos. 49. Cavaleiro da Lua. 50. X-Men Gold. 51. X-Men Blue. 52. Velho Logan. 53. Novíssima Wolverine. 54. Homem de Gelo. 55. Geração X. 56. Arma X. 57. Cable. 58. Desprezível Deadpool. 59. X-Men: Grand Design. 60. Justiceiro: O Pelotão. 61. Velho Logan vs Deadpool. 62. Fugitivos.

A questão é que 63% do material não é de diversidade e as pessoas ainda assim reclamam do espaço dado para as “minorias”. Tem material PRA TODO MUNDO. Realmente incomoda ver um negro como o Pantera Negra vendendo 300 mil cópias na primeira edição? Ou uma equipe como os Campeões, que tem negros, brancos, muçulmanas, orientais e latinos vendendo também 300 mil cópias na estreia?

Eu escrevi “minorias” entre aspas propositalmente. Pois as classes ditas minoritárias na verdade não são, né? Em países como o Brasil, negros e mulheres correspondem a mais de 50% da população. Nos Estados Unidos, as mulheres também são a maioria, já a comunidade negra corresponde a cerca de 15% do todo, número bem abaixo do Brasil, mas ainda é um dos países com maior concentração de negros fora da África.

Tá, mas então se tem tanta gente assim, porque se fazem de vítima e se dizem minorias?“. Para por 1 minutinho, só um minuto, e começa a lembrar dos filmes, séries, novelas e obras no geral que você costuma consumir. Mais de 50% das produções são protagonizadas por mulheres? 15% tem pessoas negras em destaque? Ah, pois é. A minoria não é populacional, a minoria é representativa.

Não ta afim de ler a revista do Homem de Gelo gay? Preferia quando ele tava escanteado num canto, sem fazer nada, ignorado e ninguém dava bola pra ele? Beleza. Uma das coisas mais fascinantes do catálogo atual da Marvel é que tem outras 39 revistas que não mexem com nenhum tema social. Você pode ler sem medo de sentir empatia pelo próximo, afinal, tem muito Justiceiro atirando na cara de bandido, Punho de Ferro dando mortal no ar e Wolverine estripando ninjas.

Eu escuto muito o pessoal falar: “O problema não são as revistas de diversidade, o problema é elas serem ruins“. E isso imediatamente me lembra do incrível fenômeno dos leitores que não leem as HQs. Pois das 42 últimas revistas indicadas ao Prêmio Eisner (Oscar dos quadrinhos) que a Marvel recebeu desde 2012, cerca de 23 estavam ligadas a revistas de diversidade.

A revista da Thor é uma das mais elogiadas pela crítica e pelos leitores que estão acompanhando a revista. Foto: Marvel Comics.

E não é preciso de uma pesquisa para saber que a maioria das HQs ruins e canceladas da história do mercado de quadrinhos, são protagonizadas por homens, héteros e brancos. E você já viu alguém pedindo o cancelamento e suspensão de todas as revistas com personagens desse perfil sob o argumento de que esse público não consome quadrinhos?

Mas ok, vou ser querido e indicar aqui as 5 melhores revistas da Marvel atual que não envolvem nenhum plot de diversidade. Assim você não precisa criticar aquela que você não gosta ou que não leu.

5 revistas sem diversidade da Marvel

1.  Guardiões da Galáxia: Gerry Duggan chegou e transformou a revista do grupo. A HQ além de ser engraçada, tem toda uma atmosfera nostálgica de aventura. Tem Joias do Infinito, Thanos, Tropa Nova e tudo o que uma revista cósmica da editora precisa ter.

2. Deadpool: Outra HQ escrita por Gerry Duggan, esse cara é foda. Ele pega um personagem canastrão como o Wade Wilson e o torna humano. Mas não confunda, ele ainda mata geral a sangue frio, toma decisões que não fazem sentido e solta piadas ruins enquanto faz tudo isso.

3. Surpreendentes X-Men: Quem diria que após fracassar nos Inumanos, Charles Soule iria se redimir justo nos mutantes. Bom, preciso deixar claro, apesar de X-Men ser uma revista que conversa muito com temas sociais, essa HQ basicamente é uma missão da equipe em busca do Professor Xavier. Não tem nada de diversidade aqui, eu juro.

4. O Velho Gavião Arqueiro: É a estreia do jornalista Ethan Sacks na Marvel. A revista serve como prelúdio para a história original do Velho Logan. Aqui acompanhamos a jornada de Clint Barton, descobrimos como ele ficou cego e como foi pedir ajuda ao Logan na história original.

5. Defensores: Um dos últimos trabalhos do roteirista Brian Michael Bendis na Marvel. O escritor aqui reúne o Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro para combater o crime organizado em um “nível de rua”. Prepare-se pra briga de gangues, drogas, tiro, porrada e bomba.

Agora você já entendeu que no momento que se deparar com uma HQ de diversidade que não quiser ler, você pode ir buscar alguma que não represente nada. Isso não significa que a revista é ruim, óbvio que não, no fundo, tudo o que importa é ler aquilo que se gosta.

Confira também essas novidades