Marvel introduz uma mutante Drag Queen em HQ com a Parada do Orgulho Mutante

Desde que o personagem Homem de Gelo se descobriu homossexual, lá em 2014, a sexualidade do herói tem sido alvo de constante desenvolvimento. Um dos principais passos, nesse sentido, tem ocorrido na HQ solo do personagem escrita pelo roteirista Sina Grace.

Na edição #4 da atual minissérie do Homem de Gelo, ocorreu a 1° Parada do Orgulho Mutante da Marvel, uma alegoria para a já clássica Parada do Orgulho Gay. Afinal, as duas comunidades possuem muitas semelhanças: são oprimidas e hostilizadas por simplesmente serem quem são.

Nesse sentido, inclusive, a revista é muito consciente e possui um discurso claro e forte. As X-Women Kitty Pryde e Tempestade são convidadas para discursas no evento, a mensagem delas eu transcrevo agora na íntegra:

Kitty: Boa noite. Estamos aqui esta noite para celebrar as conquistas que a mutantade fez desde que Charles Xavier abriu suas portas para aqueles que são evitados por serem dotados de privilégios. Existem tantos termos depreciativos para nós, mas prefiro me concentrar na palavra que não pode ser tirada de nós: Dotados.

Tempestade: Estamos diante de você como lembrete de que, embora muita coisa tenha mudado, isso é muito sobre ódio … ainda há muito para ser feito. Estamos aqui para mostrar que não estamos mais representados pela visão do futuro de um único homem.

À medida que os tempos mudaram, nossos desafios se tornaram mais únicos – e a solução mais opaca. A reputação dos X-Men na mídia global é que somos lutadores.

Kitty: E em alguns países fomos rotulados como terroristas.

Tempestade: Kitty Prefere “Dotados”, eu prefiro “Lutadores”.

Enquanto o futuro pelo qual ansiamos é de harmonia, há lutas a serem feitas para chegar lá. Nós lutaremos para que nossos corpos não sejam policiados, nossos direitos não sejam tirados e nossa segurança não seja colocada em um pêndulo de violência.

Nós lutamos na esperança de que um dia seus filhos só saibam sobre esse tempo como um mito, ou forragem para histórias em quadrinhos … não o status quo nas notícias.

Kitty: Se você está em pé nesta audiência, então você acredita nessa esperança … e você é corajoso o suficiente para ficar com a gente. Juntos, podemos ajudar todos os mutantes a viver a vida que eles querem levar.

Como uma comunidade unida, podemos realizar muito mais para o mundo do que imaginam.

Ainda temos oficinas acontecendo nas tendas, então, por favor, fique por perto.

Tempestade: Fiquem em segurança. Obrigado.”

Apesar desse discurso todo já ter feito valer a HQ, outro ponto alto da edição foi a introdução da mutante Drag Queen chamada Shade. Seu poder consiste em criar pequenos portais no vácuo pelos quais pode se teletransportar. É semelhante ao poder do Manto, só que ela canaliza esses portais através do seu leque e, conforme o roteirista da HQ, visualmente o seu poder é mais charmoso.

O design original da Shade foi feito pelo próprio escritor, que passou os seus rascunhos para o desenhista da HQ, o Nathan Stockman, que teve o trabalho de produzir a versão final da mutante.

O esboço do escritor Sina Grace para a Shade. Foto: Sina Grace.

Incrível como em uma edição aleatória da minissérie do Homem de Gelo o roteirista Sina Grace conseguiu captar tão bem a essência dos X-Men, não é mesmo? 

Vale destacar que apesar da revista abordar esses temas mais sociais, ela não abre mão da ação e aventura. Enquanto a Parada do Orgulho Mutante estava ocorrendo nas ruas de Manhatan, o Homem de Gelo estava nos esgotos, com os Morlocks, que estão sendo massacrados novamente.

E então, caro leitor, o que você achou dessas pautas que a revista do Homem de Gelo colocou em destaque? Concorda que é esse tipo de história que os X-Men precisam abordar? Deixe a sua opinião nos comentários.