Criadora da Ms. Marvel anuncia saída da HQ e nova equipe criativa é revelada

Um dos maiores sucessos da história recente da Marvel é a heroína muçulmana Ms. Marvel. A jovem, com toda a sua humildade, carisma e espontaneidade despertou o interesse dos leitores imediatamente. Mesmo aqueles que chegaram a prever o seu prematuro cancelamento.

Sob os roteiros da sua co-criadora, G. Willow Wilson, a personagem teve cerca de 60 edições publicadas desde a sua criação, em 2013 e já coleciona participações especiais em diversos desenhos animados e jogos.

Wilson, que também é muçulmana e possui uma forte ligação com a Ms. Marvel, divulgou uma carta aberta anunciando a sua despedida da HQ. Confira o texto na integra abaixo:

“Ser parte da gênese de Kamala Khan tem sido uma das maiores honras da minha vida. Da minha perplexidade durante a primeira conversa telefônica com Sana em 2012 – eu estava grávida, exausta de uma longa turnê do livro e, incrédula (Você quer lançar um novo personagem? Nesse mercado?) – para minha surpresa e espanto, quando a primeira edição saiu, ela teve sete reimpressões e para minha alegria, quando Sana entregou o primeiro encadernado ao Presidente dos Estados Unidos, a partir dai esta jornada foi pura alegria.

Sana e eu inicialmente tínhamos expectativas muito modestas para este livro. Nosso objetivo era chegar a dez edições. Seria um projeto divertido – um jovem super-herói muçulmano adulto! Na Marvel! – que teria a vida útil de projetos paralelos divertidos. Eu dediquei um ano para isso. Mas na época em que o primeiro encadernado chegou à lista de best-sellers do New York Times Graphic Books, percebi que Kamala estava rapidamente se tornando o centro da minha vida.

E isso é em grande parte graças a vocês, leitores. Seu entusiasmo impulsionou esse personagem a alturas cada vez maiores. Nunca na minha vida imaginei que entraria em minha farmácia local e veria algo que criei me encarando de camisetas e bonecos de ação. No entanto, são as experiências que tive com leitores que me mudaram em um nível elementar. Nas sessões de autógrafo, nas convenções, nas visitas às salas de aula, rimos e choramos juntos. Conheci seus filhos, vi fotos de seus cães, segurei suas mãos enquanto falava sobre suas experiências mais difíceis. Kamala não é apenas o que você lê na página ou assiste na TV – ela é essa comunidade. E ela fez de todos nós melhores seres humanos.

Em fevereiro, escreverei a edição de número 60 deste livro – cinco anos da história de Kamala. Ela é agora algo muito maior do que a minissérie que Sana e eu planejamos anos atrás. Ela, com toda a probabilidade, sobreviverá a todos nós. Eu não poderia estar mais feliz com isso – e, da mesma forma, significa que minha parte nas aventuras de Kamala acabaria chegando ao fim. Grandes super-heróis permanecem frescos e relevantes porque são o trabalho de muitos contadores de histórias, todos trazendo suas perspectivas e experiências únicas para o personagem. No início deste ano, comecei a ter a sensação persistente de que corria o risco de me repetir toda vez que me sentava para escrever um novo roteiro. Foi um sinal: hora de começar a planejar minha saída.

Fiquei encantada quando Saladin disse sim para assumir o cargo de roteirista da Ms. Marvel. Seus planos para Kamala são incrivelmente empolgantes, e tem sido muito divertido dar uma olhada dentro de onde a série está indo sob sua direção. Fiquei impressionado com o seu trabalho em Raio Negro, que me deu a mesma sensação de possibilidade infinita que a leitura de Sandman me deu quando adolescente. 

Sentirei falta de trabalhar com a lista fenomenal de artistas que tornou esta série um dos livros mais bonitos do mundo, ano após ano – Adrian Alphona, cujo caráter genial e design ambiental deu a essa série um visual distinto; Jamie McKelvie, cujo senso de design já é lendário, pelo figurino que rapidamente se tornou icônico; Takeshi Miyazawa, cujo estilo cinético e alegre era impossível não amar; e Nico Leon, que é basicamente meu irmão de sangue neste momento, e para quem nenhuma seqüência de ação é muito estranha. O incrível Ian Herring, que pintou CADA ÚNICO PROBLEMA deste livro por cinco anos seguidos, e cuja paleta impecável dá continuidade ao estilo estilístico do livro, não importa quem o esteja desenhando. E Joe Caramagna, extraordinariamente honesto, que passou meia década suportando minhas edições de última hora, quando realmente não deveria ter feito isso. (Eu amo você, Joe. Sinto muito, Joe.)

Daqui a alguns meses, deixarei o cargo de escritora da Ms. Marvel. Mas eu serei uma fã para a vida.”

Porém, como a própria co-criadora da personagem deixou claro, esse não é o fim da Ms. Marvel. A jovem heroína receberá em 2019 (sem data oficial, mas provavelmente a partir de março) uma nova revista chamada: A Magnífica Ms. Marvel.

Os roteiros serão de Saladin Ahmed (Raio Negro) e a arte ficará com 
Minkyu Jung (Titãs). O escritor prometeu que a personagem seguirá inserida no cerne do Universo Marvel, tendo histórias mais intimistas e particulares. Ahmed também indicou que a HQ poderá ter um tom um pouco mais sombrio do que tinha nas mãos de Wilson.

Mas e você, caro leitor, o que achou da novidade? Está ansioso para ler a nova fase da Ms. Marvel? Sentirá saudades da Wilson? Deixe a sua opinião nos comentários.

Confira também essas novidades