A Fase 4 do MCU ta ótima, mas como eu faço pra ler as HQs que a inspiraram, dona Panini?

Ocorreu já tem algumas semana o painel da Marvel Studios na San Diego Comic Con. Kevin Feige anunciou toda a Fase 4 do estúdio, revelando diversos filmes e séries que estarão estreando nos próximos anos.

Tudo foi maravilhoso, uma verdadeira diversidade de personagens e produções. Mas e se você quiser ler o material base, no caso, as histórias em quadrinhos que inspiraram essas novas produções, onde você encontra esses materiais?

A resposta curta é que você não encontra. Não a grande maioria, pelo menos. Nesse texto vamos apontar diversas HQs que a editora Panini está devendo lançamento no Brasil e que vão inspirar diretamente a Fase 4 do MCU.

O que você não encontra no Brasil:

Eternos

Os Eternos são uma raça de seres humanos que foram transformados pelos Celestiais lá nos primórdios da vida na Terra. Eles ganharam imortalidade e super-poderes.

Os Eternos, verdade seja dita, nunca tiveram uma grande revista de destaque. Porém, tiveram alguns títulos ao longo dos anos.

Há a versão de 1976, comandada por Jack Kirby. O volume de 1985, escrito por Peter Gillis e desenhado por Sal Buscema. A versão mais moderna, de 2006, comandada por Neil Gaiman e John Romita Jr. e uma continuação dessa história, de 2008, onde acompanhamos os Eternos interagindo com os X-Men e lidando com as consequências da Guerra Civil.

Há também uma minissérie não canônica dos Eternos escrita por Chuck Austen, com muita nudez e violência, publicada pelo selo Marvel Knigths.

Uma página de “Eterno”, revista publicada pelo selo Marvel Knigths e destinada ao público maior de idade. Foto: Marvel Comics.

Nenhum desses volumes foi lançado no Brasil em formato encadernado. No máximo, o volume de Neil Gaiman saiu por aqui, mas no formato de fascículo, lá por 2008 (11 anos atrás).

[Nota do Editor: apesar da Panini ter lançado os Eternos de Neil Gaiman apenas em fascículos, a editora Salvat publicou o material em encadernado na sua coleção, no volume 54].

Falcão & Soldado Invernal

Ao final de Vingadores: Ultimato o Capitão América entrega o seu escudo para Sam Wilson, o Falcão. Dessa forma a série Falcão & Soldado Invernal do Disney+ deverá mostrar a transformação do herói no novo símbolo da América.

No Brasil, a fase em que Sam Wilson atuou como Capitão América foi publicada apenas em mensais (Capitão América #1-21 em 2017), não recebendo, até o momento, um encadernado. O material foi lançado originalmente nos Estados Unidos em 2015

Durante muito tempo, na década de 70, a revista do Capitão América ostentava o seguinte título: “Capitão América e o Falcão“. O título focava bastante na vida de Sam Wilson como companheiro de Steve Rogers e também como um agente social preocupado com a sua comunidade no Harlem.

Esse material nunca foi relançado no Brasil pela Panini. Seria um material muito interessante para a linha “Coleção Histórica Marvel“, não é mesmo?

Vale ressaltar também que a sua recente minissérie solo, após o período em que foi o Capitão América, também não chegou no Brasil.

O que aconteceria se … ?

Essa será uma série animada mostrando possibilidades que poderiam ter ocorrido no MCU. Como por exemplo, o que aconteceria se o soro do super-soldado tivesse sido usado pela Agente Carter?

Essa ideia foi retirada diretamente dos quadrinhos, pois lá em 1977 a Marvel teve a ideia de explorar situações absurdas e variações das suas grandes sagas com a linha “O que aconteceria se …”.

Ao todo, essas histórias possuem mais de 200 edições lançadas lá nos Estados Unidos e envolvem uma variedade gigantesca de possibilidades. “e se o Demolidor tivesse matado o Rei do Crime?“, “e se o Capitão América tivesse sido despertado apenas nos dias atuais?“, “e se a família do Justiceiro não tivesse morrido” ou ainda “e se o Homem-Aranha tivesse se casado com a Gata-Negra?“.

Acontece que, exceto por histórias pontuais e aleatórias em encadernados ou então versões modernas das revistas “O que aconteceria se …”, que foram lançadas nas finadas Marvel Especial e Marvel Apresenta, o material nunca chegou a sair aqui no Brasil pela Panini.

Gavião-Arqueiro

Uma das novidades anunciadas na SDCC foi a série do Gavião-Arqueiro, que adaptará a fase do escritor Matt Fraction. Esse foi um período muito elogiado do personagem.

A Panini publicou a fase na integra, seja em formato mensal ou mesmo em encadernados de capa dura da Nova Marvel. Mas há um adendo muito importante aqui.

A Gaviã-Arqueira, parceira do Gavião-Arqueiro, estará na série. Será a sua estreia no MCU. E ela, um pouco após o período em que Fraction comandou a revista, passou a ser a protagonista do título.

A revista Gaviã-Arqueira era escrita por Kelly Thompson (Capitã Marvel) e desenhada pelo brasileiro Leonardo Romero (Shuri). O título inclusive foi indicado ao Prêmio Eisner em 2018.

Apesar disso tudo, o título foi sumariamente ignorado no Brasil. Os volumes escritos por Matt Fraction e Jeff Lemire, com o Gavião-Arqueiro em destaque, foram lançados. Já a fase em que a protagonista é a Gaviã e a escritora a Kelly Thompson, a Panini preferiu não publicar.

Faço um adendo, destacando que a revista da Gaviã-Arqueira é relevante, inclusive, para se compreender a revista dos Vingadores da Costa-Oeste, título que traz a Gaviã-Arqueira em papel de destaque. Mas esse título também não deve chegar no Brasil.

A Poderosa Thor

Taika Waititi, diretor de Thor: Amor e Trovão, destacou no painel da Marvel na SDCC que o quarto filme do Thor será fortemente inspirado no trabalho que o escritor Jason Aaron está desenvolvendo nos quadrinhos.

Aaron assumiu o título do Thor em 2012 e está de saída agora no final de 2019. Ele escreveu 25 edições de Thor: O Deus do Trovão, que foram lançadas aqui tanto em formato mensal quanto encadernado de capa dura.

Na sequência ele escreveu mais 8 edições de Thor, protagonizados pela Jane Foster, na sequência teve a minissérie de 4 edições chamada Thors, tie-in da saga Guerras Secretas e a mensal da Poderosa Thor, que teve mais 30 capítulos.

Após isso, o título voltou a se chamar Thor e a ser protagonizado por Odinson por mais 16 edições, então veio a saga Guerra dos Reinos, com seis edições e por fim a minissérie do Rei Thor, com mais 4 capítulos.

No Brasil, hoje, se você quiser ler todo o trabalho do Aaron, a melhor ordem de leitura é a seguinte:

4 encadernados de capa dura Thor: Deus do Trovão.
A Mensal Novíssimos vingadores #1-9
O encadernado Guerras Secretas: Os Vingadores n° 3.
A mensal Thor #1-15.
2 encadernados de capa cartão chamados Thor: A Morte de Thor #1-2.
O encadernado Thor: Renasce o Deus do Trovão.

Ao todo, Jason Aaron escreveu cerca de 80 edições entre 2012 e 2019. A até o momento, no que tange a cronologia atual do Brasil, todos os títulos foram lançados em banca. Inclusive foi lançado nessa semana o primeiro volume da fase Fresh Start, que antecede a saga Guerra dos Reinos.

Porém, a nota negativa e que faz com que a HQ seja mencionada nesse texto é que em 2015 a Panini passou a republicar essa fase do Thor em capa dura, na coleção da Nova Marvel.

Saíram os quatro primeiro volumes, que completam as 25 edições de Thor: O Deus do Trovão. Na sequência desse material temos o primeiro volume de Thor, protagonizado pela Jane Foster, que conforme o diretor Taika Waititi, estará em Thor: Amor e Trovão.

Só que, apesar dos encadernados do Thor em capa dura frequentemente esgotarem em sites como a Amazon e os fãs pedirem pela continuação com a Jane Foster a todo momento, a editora não demonstra interesse em publicar esse material.

No início do ano, através do Facebook, a editora foi questionada sobre quando sairia o encadernado da Thor e a resposta fi de que não estava nos planos.

Assim que a Jane Foster foi confirmada como a Thor no filme Thor: Amor de Guerra, os fãs novamente encherem a Panini de mensagens novamente. Dessa vez a editora respondeu que está analisando os pedidos e que provavelmente lançará o material no ano que vem ou em 2021, ano em que o filme chegará aos cinemas.

O título da Poderosa Thor apesar de ter vendido muito bem nos Estados Unidos, teve vendas bastante modestas no Brasil. Isso poderia servir de explicação para a editora estar receosa em lançar o material em capa dura.

Porém, é importante destacar que Thor: O Deus do Trovão, também teve vendas pífias quando era publicado em formato mensal, mas ao sair em capa dura, esgotou rapidamente na Amazon.

Ou seja, cabe a editora ter a capacidade de analisar o mercado e entender qual é o formato mais rentável de se publicar as suas histórias em quadrinhos.

Blade

Blade, o Caçador de Vampiros, é um personagem que mesmo já tendo protagonizado algumas histórias próprias, nunca teve um título tão longevo. E agora ganhará uma produção própria na Fase 5 do MCU.

Apesar disso, a Panini nunca lançou em encadernado as suas várias mensais e/ou minisséries. Ele já participou dos Filhos da Meia Noite em 1992 e teve revistas em 1994, 1998, 1999, 2002, 2004 e 2006, sendo que nenhum destes materiais foi relançado pela Panini.

Porém, vale destacar, que desde 2014 a editora está lançando a “Coleção Marvel Terror: A Tumba do Drácula“, que já conta com oito volumes e no segundo encadernado podemos acompanhar a primeira aparição do Blade no Universo Marvel.

O que você encontra no Brasil:

Viúva-Negra

A Viúva-Negra morreu em Vingadores: Ultimato, mas isso não a impedirá de ter um filme solo. A aventura dela mostrará eventos no passado, que antecedem o terceiro e quarto filme dos Vingadores.

As recentes revistas em quadrinhos da espiã russa foram devidamente publicadas no Brasil no formato encadernado e com capa cartão.

A Panini lançou tanto os três volumes do escritor Nathan Edmondson (Justiceiro) com Phil Noto (Demolidor), quanto a fase de Mark Waid (Demolidor) com Chris Samnee (Demolidor).

Shang-Chi

Por incrível que pareça, a Panini possui uma boa quantidade de materiais do Mestre do Kung-Fu lançados recentemente no Brasil. Parece até que a editora se adiantou à Marvel Studios.

Até o momento já saíram 9 volumes da linha “Coleção Histórica: Mestre do Kung Fu“, republicando as primeiras edições do personagem, lá da década de 70.

WandaVision

Essa será uma série do Disney+ que a Feiticeira Escarlate e o Visão vão dividir, a produção está sendo promovida como uma adaptação da revista “Visão” do escritor Tom King (Batman) e Gabriel Walta (Doutor Estranho).

Visão é um material muito elogiado da Marvel e que foi publicado pela Panini aqui no Brasil em 2018 (com um delay de quase 3 anos em relação aos EUA) em dois encadernados de capa dura.

Porém, vale destacar, no mesmo período a Feiticeira Escarlate também recebeu uma mensal própria e o material nunca chegou nas mãos dos leitores brasileiros. O título teve roteiro de James Robinson (Quarteto Fantástico) a arte de vários artistas e 15 edições.

E apesar de WandaVision trazer elementos do Visão do Tom King, parte da história também vai girar em torna dos poderes da Feiticeira Escarlate, que foram explorando na sua própria HQ inédita no Brasil.

Loki

O Deus da Trapaça, após o sucesso cinematográfico tem recebido cada vez mais destaque na Marvel e agora ganhará a sua própria série no Disney+. E no que diz respeito ao Loki, a Panini não decepcionou.

O título Loki: Agente de Asgard está sendo relançado atualmente em capa dura como parte da coleção da Nova Marvel. A HQ possui roteiro de Al Ewing (Imortal Hulk) e arte de Lee Garbett (Imortal Hulk). Até o momento, os dois primeiros volumes foram lançados.

Doutor Estranho

Esse é um caso mais complicado, mas eu resolvi colocar na categoria dos materiais já lançados no Brasil devido as recentes iniciativas da Panini. A editora lançou alguns materiais pontuais do Strange ao longo dos anos, como as minisséries “O Juramento” e “Shamballa“, por exemplo.

E nos últimos anos a fase do escritor Jason Aaron (Thor) em formato mensal e agora a do escritor Donny Cates (Venom) em formato encadernado.

Porém, vale ressaltar, muito do material clássico do personagem, revistas das décadas de 60 e 70, seguem sem republicação aqui no Brasil.

Ao todo o Doutor Estranho possui cerca de quase 400 edições mensais já lançadas nos EUA e que poderiam render uma ótima Coleção Histórica pra ele.

Mas e você, caro leitor, também está com problemas para achar no Brasil as revistas que estão inspirando a Fase 4 do MCU? Deixe a sua opinião nos comentários.