8 vezes em que a Thor conquistou os nossos corações

Jane Foster é uma personagem clássica da mitologia do Thor, porém, ela apenas assumiu a alcunha de Deusa do Trovão em 2014. Nesses últimos 04 anos ela viveu muitas aventuras e nos deu motivos mais do que suficiente para que encaremos-a como a Poderosa Thor.

Nossa equipe editorial, tanto os Jamesons quanto os Parkers, elegeu os 8 momentos em que a personagem nos tocou em um nível mais profundo. Seja pela sua representatividade ou mesmo carisma.

8 vezes em que a Thor conquistou os nossos corações

1. A Thor feminista (Marcos Heck)

Essa foi uma página da quinta edição da Thor que causou uma certa polêmica nos Estados Unidos. Aparentemente o termo feminismo, por algum motivo, é encarado com medo pelos homens. Enquanto as mulheres lutam por IGUALDADE, algumas pessoas prefere desmerecer a luta.

O que o roteirista Jason Aaron fez aqui foi basicamente retratar na figura do Homem-Absorvente, um vilão genérico e pouco esperto, o homem machista. Se você é homem e não pratica o machismo, não precisa se ofender pois a crítica não foi pra ti.

2. Uma Deusa humilde (Matheus Freitas)

Em sua concepção original, o Thor era um herói que aprendia, em contato forçado com a humanidade, o valor de ser humilde. Jane Foster resgatou esse ideal, mas de forma voluntária. Em Thor #8, as relações entre o divino e o moral, entre humildade e arrogância e, principalmente, entre sacrifício e dignidade são explicitadas para revelar a identidade secreta da Dra. Jane Foster. Um dos melhores momentos do run, não apenas pela revelação, mas por sintetizar os conceitos que fundamentam a história.

3. A realidade do paciente com câncer (Fabio Jacob)

Jane falando sobre sua rotina, vivendo com o câncer, da uma noção muito importante de como a vida da Thor pode não ser tão legal assim. Ela é humana, tem problemas de humanos e seu sacrifício para salvar o mundo (ou os mundos) todas as vezes que ela se transforma na Thor é algo que não se vê todo dia. Jane Foster será sempre lembrada por isso.

4. Uma só com a Tempestade (José Ronaldo)

Eu acho legal quando ela impede uma ogiva lançada pela Roxxon. Tipo, enquanto ela está no caminho para impedir a bomba, ela realmente se torna uma só com a Tempestade e assume mais do que nunca o posto de Deusa do Trovão. É uma simbologia enorme, todo um esforço que ela faz, botando uma nas suas costas, sendo a campeã de Asgard, mesmo que os demais não queiram isso. Ela é uma verdadeira heroína com o trovão nas veias.

5. O funeral sem chuva (Pablo Luiz)

A minha expectativa quando comecei a ler a HQ era de algo mais sobre deuses e a Jane enfrentando tudo isso junto com seu câncer. Mas quando começaram a abordar a sua rotina eu senti que ela era gente como a gente, apesar de erguer o Mjolnir ela ainda tinha a humildade de um ser humano.

6. Onde estavam os Deuses? (Pedro Arthur)

O momento em que ela discursa para os Deuses Shiars sobre uma mulher que antes de morrer de câncer rezou pra todos os deuses, mas nenhum a ouviu. Esse momento sintetiza a motivação da Jane e o que a torna digna: não é simplesmente ódio dos deuses ou a descrença que ela tinha antes. É o conhecimento de que deuses existem e mesmo com o poder pra mudar a vida dos mortais eles escolhem agir de forma a exaltar seu ego e validar a própria existência. O que é ainda mais comprovado com as ações dos Shiar durante o desafio

7. Fênix vs Quimioterapia (Lucas Fazola)

Esse momento em específico me tocou pois é uma demonstração em larga escala do quão poderosa a Thor é, batendo de frente e sobrepujando uma entidade cósmica tão poderosa quanto a Fênix. Fora que também denota quão guerreiras são as pessoas que precisam enfrentar o tratamento contra o câncer.

8. A Intervenção! (Pablo Rodrigues)

Ao melhor estilo How I Meet Your Mother, as pessoas mais próximas de Jane Foster fizeram uma intervenção para que ela se dedique ao tratamento do câncer e desista de salvar o dia como a Thor. O desfecho é bastante previsível, né? Se você já está na 8° vez em que ela nos conquistou , então já deve ter percebido que esse foi o momento em que ela quebrou o nosso coração. Afinal, logo na sequência ela partiu para a sua última batalha.

A Poderosa Thor estará para sempre eternizada nos nossos corações. Ela é um caso raro de uma heroína que surge do nada, brilha o mais forte do que pode e se despede de forma coerente para nos deixar enormes saudades.

Essa lista é a nossa singela homenagem para a personagem.

Confira também essas novidades