3 HQs para se ler após assistir Homem-Aranha no Aranhaverso

Homem-Aranha no Aranhaverso é o mais recente sucesso cinematográfico com personagens da Marvel. O longa traz como protagonista o Miles Morales, uma versão razoavelmente nova do Homem-Aranha. E como muitas pessoas desconhecem as suas principais histórias, vamos indicar aqui três HQs para você ler caso tenha gostado do filme.

Miles Morales foi criado por Brian Michael Bendis, escritor que também é o criador de Maria Hill, Jessica Jones e Tremor, outras personagens de destaque do MCU, lá em 2010.

Esse texto, obviamente, terá spoilers de Homem-Aranha no Aranhaverso, então se você ainda não assistiu ao filme, espere um pouco para ler esse texto.

1 – O Novíssimo Homem-Aranha Ultimate

Essa é a história de origem do Miles, que até então havia aparecido brevemente em uma edição especial de uma mini do Universo Ultimate após a morte de Peter Parker.

As primeiras edições contam como o herói ganhou seus poderes, como funciona sua vida e quem são os seus coadjuvantes. Aqui no Brasil essas histórias foram publicadas em Ultimate Marvel #27-32 entre o final de 2012 e início de 2013. Essa história também foi republicada pela Salvat no seu 74° encadernado, intitulado: “Quem é o Miles Morales?“.

Semelhanças do filme com a HQ:

A história do filme não é exatamente fiel às HQs, mas bebe de MUITAS referências. O tio de Miles é o vilão Gatuno e está ligado com o fato do sobrinho ganhar seus poderes nas duas versões.

Nas HQs, o Tio Aaron invade e rouba tecnologia de uma instalação da Oscorp abandonada e uma aranha acaba entrando na sua bolsa. Miles vai até a casa do seu tio para desabafar e a aranha acaba picando ele. Já no cinema, Miles vai até o tio desabafar, mas ambos vão até os túneis abandonados da Roxxon, onde lá uma aranha lhe pica.

Nas duas versões o Aaron acaba morrendo e consequentemente impacta emocionalmente a vida do garoto. Nos quadrinhos, ao descobrir que o Miles é o Aranha, Aaron acaba lhe usando para atacar outros vilões, incentivando a vida criminosa do sobrinho. Já no filme ele atua como capanga do Rei do Crime e persegue o Homem-Aranha até descobrir que ele é o Miles.

Jefferson Davis, pai de Miles, nas duas versões é um homem que não gosta de vigilantes e super-heróis. Mas nas HQs é um ex-agente da SHIELD aposentado, já nas HQs é um policial na ativa. Já Rio Morales, sua mãe, é uma mulher de origem hispânica nas duas mídias.

A revista ainda tem algumas semelhanças pontuais, como a comunidade de luto em frente à igreja após a morte do Peter. Uma cena bastante semelhante a essa existe nas HQs e no filme.

2 – Homens-Aranha

Esse foi o primeiro crossover oficial da Marvel entre o seu universo de histórias regulares (Universo 616) e o mundo onde Miles Morales foi criado (Universo Ultimate).

Na ocasião, o vilão Mystério descobriu como criar um portal entre as dimensões e o Peter Parker 616 acaba indo para o Ultiverso. Como naquele mundo o Peter havia morrido na adolescência e se tornado um ícone nos Estados Unidos, a história foi bastante emocionante.

Essa história serve de base para muita referência na dinâmica entre Peter e Miles no filme, já que essa foi a primeira, a mais importante e também uma das poucas vezes que os heróis interagiram de forma longa e relevante.

A história foi publicada aqui no Brasil pela Panini em 2013, em um encadernado de capa cartão chamado “Homens-Aranha“. A história teve cinco edições e todas constam no encadernado. OBS: não confundir com Homens-Aranha II, publicada recentemente pela editora, essa é uma sequência da história original.

Semelhanças do filme com a HQ:

Bom, o simples fato de termos Peter Parker chegando em um mundo alternativo onde o Homem-Aranha morreu e as pessoas idolatram o herói, já é semelhança o suficiente.

Porém o filme possui diversas cenas que foram tiradas das HQs. Como por exemplo quando Peter vai visitar a Tia May e ela se emociona ao ver o sobrinho vivo.

É nessa história também que Miles acaba conhecendo a May e mais adiante, mas não nessa história, ela acaba lhe entregando os lançadores de teia do finado Homem-Aranha daquele universo. A mesma coisa se repetiu no filme.

A cena em que a dupla de Aranhas se conhece e Peter fica inconsciente, mas Miles precisa lhe carregar de forma desastrosa, também foi retirada das HQs.

3 – Aranhaverso

Aranhaverso foi uma saga que reuniu dezenas de versões alternativas do Homem-Aranha. Foi nessa história que personagens como Gwen-Aranha e Peni Parker foram criadas.

Nas HQs a trama da história é bastante complexa, envolve entidades multiversais que estão caçando as Aranhas do Multiverso. E por isso todo mundo precisa se reunir para deter esses inimigos em comum. Apesar de Miles participar dessa história, a sua contribuição é muito pequena, o foco é mesmo no Peter.

Essa história foi publicada pela Panini em Homem-Aranha #8-11, no início de 2016. Em breve também deverá ser republicadas em encadernado de capa dura, na linha da Nova Marvel que a Panini está lançando.

Semelhanças do filme com a HQ:

Essencialmente essa é a revista com menos semelhanças com o filme, o que é até um pouco irônico, pois ambas possuem o mesmo título. Dá para dizer que a relação entre as duas obras está em vermos diversas versões alternativas do Homem-Aranha trabalhando juntas. Com a diferença que nas HQs há dezenas de versões do Aranha, já no cinema são apenas seis.

O filme também conta brevemente as origens de Gwen-Aranha e Peni Parker, que foram contadas em tie-ins da saga original. Personagens como o Homem-Aranha Noir e Chouriço-Aranha, por exemplo, são mais antigos do que Aranhaverso das HQs.

Ou seja, Homem-Aranha no Aranhaverso é uma mescla dessas 3 histórias, com suas devidas adaptações e alterações. A origem do Miles, a chegada de um Peter Parker alternativo no mundo do Miles e a reunião de diversas versões alternativas do Homem-Aranha.

Mas e você, caro leitor, o que achou de Homem-Aranha no Aranhaverso? Se você já leu as mencionadas HQs, identificou todas essas referências? Encontrou mais algumas? Então nos avise nos comentários.

Confira também essas novidades