10 grandes HQs lançadas pela Marvel em 2019 e que você não deve deixar passar

O ano de 2019 foi recheado de grandes histórias para os leitores da Marvel Comics. Nesse texto vamos destacar as nossas 10 favoritas, sendo a maioria com lançamento já agendado no Brasil em 2020.

Importante destacar que o nosso objetivo com essa lista não é ser definitivo. Estamos apenas destacando as revistas que mais nos agradaram, você pode ter uma lista diferente e inclusive incentivamos que você compartilhe a sua nos comentários.

10 melhores HQs da Marvel em 2019

1 – A História do Universo Marvel

A equipe criativa Mark Waid (Demolidor) e Javier Rodriguez (Mulher-Aranha) assumiram para si uma gigantesca bronca: contar em seis edições a história completa do Universo Marvel. E cumpriram com êxito a missão.

A minissérie coloca em ordem cronológica eventos que envolvem desde a chegada dos Celestiais na Terra, o surgimento dos Eternos e os Vingadores de 1 milhão de anos atrás, até os acontecimentos recentes como o surgimento da Miss Marvel, Miles Morales e a Poderosa Thor.

O material conta inclusive com uma bibliografia de referências bastante rica, explicando onde foi mostrado cada evento apresentado na HQ. A diagramação de Rodriguez em cada página da revista, sendo envolvente e criativo do início ao fim, é um espetáculo a parte.

2 – Homem-Aranha o Amigão da Vizinhança

O roteirista Tom Taylor (X-Men: Equipe Vermelha) tem se provado cada vez mais como um dos profissionais mais sensíveis do mercado atual. Ele consegue escrever cenas de luta e momentos delicados com a mesma qualidade.

Essa HQ do Homem-Aranha tem como o objetivo focar mais no lado humano do personagem. Mostrar o motivo dele ser o maior herói de todos os tempos. E o mesmo vale para o seu elenco de apoio.

Mary Jane e Tia May, por exemplo, todas possuem momentos muito marcantes e importantes na HQ. Uma das edições de Homem-Aranha o Amigão da Vizinhança, inclusive, me fez chorar MUITO enquanto lia.

Foram 14 edições para mostrar a verdadeira essência do Homem-Aranha. Sem viagem no tempo, dimensões alternativas, clones ou qualquer megalomania do tipo. Apenas o bom e velho Amigão da Vizinhança ajudando a sua … vizinhança.

3 – Dinastia X

Impossível não trazer nessa lista a incrível reestruturação promovida por Jonathan Hickman (Vingadores) na franquia mutante. O autor mexeu profundamente na cronologia dos mutantes e criou algo novo.

O material é tanto acessível para novos leitores, quanto interessante para a galera que já acompanha os personagens há um bom tempo. Nessa indicação estão inclusas as minis House of X e Powers of X, ambas escritas por Hickman, mas desenhadas por Pepe Larraz (Vingadores) e RB Silva (Nova).

Dinastia X transforma os mutantes numa comunidade, desenvolve uma nova cultura para uma espécie inteira. Uma nação. E como não poderia deixar de ser, temos muitas questões políticas e abordagens sobre evolução sendo exploradas. Se você gosta de ficção científica de qualidade, leia.

4 – Fugitivos

A revista dos Fugitivos já estava na nossa lista de melhores do ano em 2018 e continua no pódio em 2019. Sob os roteiros de Rainbow Rowell (Wayward Son) e arte de Andres Genolet (X-Men: Equipe Azul) e Kris Anka (Gata-Negra), temos uma verdadeira família disfuncional de adolescentes.

É incrível o talento da escritora para desenvolver o relacionamento desses jovens. Normalmente quando adultos resolvem contar histórias de adolescentes, o resultado acaba ficando bastante artificial. Não é o caso aqui.

Todos estão crescendo, amadurecendo e se descobrindo. É interessantíssimo acompanhar essa jornada enquanto os mais diversos infortúnios fazem com que essa família prove cada vez mais a força da sua união.

Destaque para as recentes edições, quando os personagens finalmente decidem abraçar a ideia de se tornar uma equipe de super-heróis em Los Angeles.

5 – Surfista Prateado: Preto

Donny Cates (Venom) tem se destacado na Marvel nos últimos anos, acumulando trabalhos que cativaram muito os fãs. O destaque do seu currículo em 2019 foi a minissérie Surfista Prateado: Preto.

O lendário criador Stan Lee sempre deixou claro a sua paixão pelo Surfista Prateado, uma das suas criações preferidas. O escritor Donny Cates conta, em carta publicada junto a primeira edição dessa minissérie, que estava escrevendo a primeira edição dessa HQ no momento em que recebeu a notícia da morte de Stan.

O seu objetivo com a revista passou a ser então honrar o legado de Stan Lee. E ele cumpre esse objetivo com maestria. Surfista Prateado: Preto é uma aventura de Norrin Rad contra a escuridão, permeando tentações e até crises existenciais.

A arte de Tradd Moore (Motorista Fantasma), mais estilizada do que o normal, contribui para que a minissérie seja quase conceitual, provocando uma série de reflexões no leitor enquanto o personagem sai no pau com o vilão na revista.

6 – Capitão América

O escritor Ta-Nehisi Coates (Pantera Negra) tem conseguido fazer em Capitão América uma desconstrução muito interessante do herói, mas sem ser algo tão radical quanto a sua versão maligna da saga Império Secreto.

Coates, que é um escritor e jornalista que sempre abordou questões culturais e sociais nos seus textos, traz nas suas histórias um Capitão América ultrapassado, mas que está decidido a se atualizar.

Em um mundo tão complexo, onde muitas vezes nem tudo é tão preto no branco, mas recheado de nuances cinzas, Steve Rogers se pega questionando, sem conseguir entender, qual deveria ser o seu posicionamento sobre temas como os imigrantes ilegais.

Coates transforma o Capitão no que a juventude americana tem apelidado de “boomer“, uma pessoa mais velha, com mais de 50 anos anos e que possui a mente fechada.

Porém, Steve quer entender todas as complexidades do mundo. E para isso na revista escrita por Coates ele enfrenta supremacistas brancos, auxilia imigrantes ilegais e luta até contra os confederados, tudo ao lado de uma equipe de super-heroínas que o aconselham sobre esses assuntos.

7 – Homem-Aranha: Life Story

O roteirista Chip Zdarsky (Demolidor) surgiu com uma audaciosa premissa para Homem-Aranha: Life Story. E se Peter Parker tivesse envelhecido de verdade desde a sua criação?

A minissérie de seis edições foca cada capítulo em uma década. A primeira, na década de 60, por exemplo, traz questionamentos como: qual seria o posicionamento de alguns heróis frente a Guerra do Vietnã? A história pode te surpreender …

Zdarsky, junto da arte de Mark Bagley (Vingadores), reconstrói as principais histórias do Homem-Aranha nesse contexto, explorando situações nas décadas de 70, 80, 90, 00 e 10.

A Última Caçada de Kraven, A Saga do Clone e até a Guerra Civil, todas são adaptadas dentro desse contexto peculiar. Ao invés dos eternos jovens heróis, aqui acompanhamos um herói que envelhece, tem uma família e precisa fazer sacrifícios.

Se o Peter Parker envelhece, como fica a Tia May? E como a Mary Jane vai lidar com um marido que mesmo na terceira idade não abre mão das suas responsabilidades? Esses são apenas alguns dos plots dessa história criativa e envolvente.

8 – Venom/Carnificina Absoluta

E aqui temos novamente Donny Cates, junto do desenhista Ryan Stegman (Wolverine). Desde o início de 2018 Coates tem surpreendido na revista do Venom, criando uma mitologia toda nova e independente para o simbionte.

O talento de Cates para ir da ação massaveia de uma grande luta entre Venom e Carnificina, para um momento mais intimista onde Eddie Brock precisa se preocupar com o seu filho, é algo que poucos escritores conseguem.

Carnificina Absoluta se mostrou uma saga muito bem escrita e o principal: teve bons tie-ins. Histórias explorando a influência dos simbiontes na psique dos hospedeiros, ofertando aos leitores histórias aterrorizantes e desesperadoras. Mas claro, sem perder o carisma de uma boa aventura de ação.

9 – O Imortal Hulk

Mais uma revista que figura na nossa lista de melhores do ano pelo segundo ano consecutivo. O trabalho de Al Ewing (Supremos) e Joe Bennett (Supremos) é definitivamente diferenciado.

A HQ mostrou em 2019 que pode ainda mais. Misturando ficção científica com críticas sociais, a HQ deixou claro que ainda tem muitos lugares para ir. Isso tudo enquanto costura bem vários elementos do personagem e os atualiza para o novo status quo sem destruir o legado do Gigante Esmeralda.

Uma revista repleta de terror, ação, mas principalmente: conteúdo. No que diz respeito a roteiro e arte, possivelmente é o título mais conciso dessa lista.

10 – Thor/Guerra dos Reinos/Rei Thor

Nessa fase final do Thor de Jason Aaron (Wolverine), ele mostrou tudo do que a faz especial. Desenvolvendo os conceitos dos Reinos Nórdicos como poucos, mostrando que tem pleno domínio da revista que já escreve há 6 anos. O desenhista Mike Del Mundo (Vingadores), que pode não agradar a todos os leitores, traz uma atmosfera bastante particular para a revista. O título do Thor também abre espaço para os personagens coadjuvantes, tornando a história mais interessante e complexa.

Em Guerra dos Reinos, saga prometida desde 2013, Aaron mostra que também sabe escrever aventuras épicas. O clímax de sua história, com a arte de Russel Dauterman (Poderosa Thor), presenteia os fãs com uma obra de arte a cada página

E em Rei Thor tivemos o capítulo final de toda essa aventura épica. Não apenas elementos do início do run retornaram para essa despedida, mas o desenhista Esad Ribic volta para dar um adeus temporário ao Deus do Trovão.

O Thor de Jason Aaron está definitivamente o hall de maiores fases de qualquer personagem da Marvel ao longo dos seus 80 anos de história.

Mas e então, caro leitor, essas foram as nossas 10 revistas preferidas da Marvel em 2019. Qual é a sua lista? Deixe ela nos comentários e vamos discutir sobre as melhores revistas.

Please follow and like us:
error

Espera aí meu jovem, já vai embora? Esperamos que você tenha gostado do conteúdo do site. Mas não esquece de nos seguir nas redes sociais abaixo para curtir mais material sobre a Marvel :D